Categorias
Dicas investimento imobiliário Mercado Imobiliário

12 PERGUNTAS QUE VOCÊ DEVE SE FAZER ANTES DE COMPRAR UM IMÓVEL

A compra de um imóvel é o sonho de muita gente. Trata-se de um investimento que exige um planejamento que só acontece depois de saber todas as informações sobre a negociação, imprescindíveis para um bom negócio.

Para que você não passe por isso sozinho e esteja preparado para pesquisar, ponderar e negociar seu futuro imóvel, separamos doze perguntas e respostas que você precisa conhecer.

Continue a leitura e confira o que deve ser levado em consideração quando o assunto é a compra de um imóvel.

Vamos juntos, porque se é sagrado para você, é importante para nós.

  1. Como são feitos os pagamentos?

Tudo dependerá do imóvel que você quer adquirir e de onde será a efetuada a compra. Existem muitas formas de pagamento, que variam de acordo com cada negócio.

As mais comuns são: à vista, parcelamento diretamente com o proprietário, financiamento bancário e permuta. Vejamos como funciona cada uma delas:

À vista: “Dinheiro pra lá, imóvel pra cá”. Embora essa seja uma opção pouco acessível, a compra de imóveis à vista é bastante comum. Trata-se de uma das opções mais rápidas e simples. Há muito pouco a se combinar: valor, momento de pagamento (se na assinatura do contrato, na formalização da escritura pública ou no momento da posse, por exemplo), tudo depende da negociação das partes envolvidas. O que permanece igual, e que caracteriza essa forma de pagamento, é a parcela única.

Parcelamento direto com o proprietário: essa é uma opção bastante frequente quando se compra um imóvel na planta ou ainda em construção. Nesses casos, o comprador se compromete a pagar o imóvel em parcelas, por determinado período e o vendedor ou a construtora se comprometem a construir o imóvel. Mas atenção: é preciso se ater às correções e reajustes estabelecidos no momento do contrato, para evitar imprevistos.

Financiamento bancário: essa é sem dúvida a opção de pagamento mais utilizada no Brasil. Nela, utiliza-se o crédito disponibilizado por instituições financeiras. A opção se torna ainda mais atrativa quando as taxas de juros são acessíveis e os procedimentos de aquisição de crédito, menos burocráticos. Não há regra sobre o valor de entrada e de financiamento. O mais comum, hoje em dia, é comprar o imóvel com 20% de entrada e 80% do valor financiado. Trata-se de uma opção cujo potencial de aquisição de crédito (o financiamento) está diretamente ligado à renda do comprador.

Permuta: ou, em outros termos, troca por bem. Nesse caso, o bem não precisa ser exatamente um imóvel (por exemplo, há permuta entre automóveis e imóveis). O que define a permuta é o fato de o bem a ser dado como troca possuir valor igual ao preço do imóvel.

2 É possível negociar o valor do imóvel?

Todos sabemos que o cliente sempre buscará negociar o valor do imóvel. É pensando nisso que os proprietários sempre se preparam para isso.

Portanto, não deixe de fazer a sua proposta. Mas é preciso ser sensato e encontrar um modo de baratear o custo sem desvalorizar o imóvel que está à venda. Sempre vale a pena ter um especialista em imóveis auxiliando essa negociação.

4 Quais os documentos para realizar a compra?

A documentação pode variar em cada caso. Mas, de modo geral, você precisará da cópia do RG, do CPF, comprovante de residência, comprovante de Estado Civil, carteira de trabalho, extrato FGTS (no caso de utilizar o Fundo de Garantia como entrada), documentos do cônjuge se casado e cópia de certidão de casamento com averbação, caso tenha se separado.

5 Posso comprar um imóvel sem entrada?

Hoje os bancos não financiam 100% do imóvel, é preciso dar uma entrada de pelo menos 20%. Há a possibilidade de fazer isso de maneira informal, mas pode haver risco.

6 Imóvel pronto ou em construção?

Cada um tem sua vantagem. De modo geral, os imóveis em construção possibilitam mais flexibilidade em relação a mudanças no projeto. Assim, você até pode mudar de ideia e fazer alguns ajustes ao longo da obra. Já os imóveis prontos estão preparados para morar e não permitem muitas mudanças. A escolha depende das suas necessidades.

7 Após a compra, posso reclamar de algum problema no imóvel?

Na maior parte das vezes, imóveis novos possuem garantia de 12 meses. O que é uma grande vantagem, tendo em vista possíveis problemas. Uma outra questão: quando se trata de um imóvel financiado, um seguro é contratado automaticamente no momento da formalização da compra, o que te livrará de alguns custos e dores de cabeça. De todo modo, antes de fechar negócio, verifique as possibilidades de garantia e seguro e, antes delas, possíveis problemas estruturais. É sempre melhor prevenir do que remediar.

8 Como saber se o imóvel vai valorizar ou desvalorizar com o passar do tempo?

Você pode contar com a ajuda de um especialista para entender mais sobre a localização, tipo de imóvel e vantagens, mas imóveis sempre terão valorização certa. A experiência de quem vai ajudar na escolha e o seu conhecimento no mercado imobiliário pode ser uma grande aliada na hora de tomar sua decisão.

9 Vale mesmo a pena sair do aluguel?

Para todo e qualquer especialista, sair do aluguel é algo que, em quase todos os casos, vale muito a pena. Isso porque o valor pago com o aluguel é, em geral, maior que o valor a ser pago em um financiamento. Não à toa, a casa própria é o sonho de muitos brasileiros, sejam eles investidores ou não.

10 Comprei um imóvel quitado, e agora?

É simples: basta ir até o Cartório de Notas mais próximos, com seus documentos pessoais e os comprovantes de pagamento e solicitar a formalização da escritura e registro em seu nome.

11 Como saber se o valor cobrado é adequado?

Você pode mapear imóveis semelhantes na mesma região e comparar os preços. Se ainda assim ficar em dúvida, contate um corretor de imóveis de sua confiança e peça uma avaliação.

12 Quais dados devem constar no contrato?

Trata-se do documento mais importante da compra. Ele deve ser preciso, claro e objetivo, contendo todos os detalhes combinados na negociação: valores, informações do comprador e do vendedor, dados do imóvel, modalidade de pagamento, valores, entrada, enfim, tudo que se relacione com a compra e com a venda do imóvel.

Isso porque é o contrato que determinará as obrigações e os direitos na relação de compra e venda. Por isso, leia cada linha atentamente e não deixe de esclarecer toda e qualquer dúvida. E então, o que achou de nossas dicas? Caso ainda tenha alguma dúvida, entre em contato conosco. Será um prazer ajudá-lo